23 junho 2006

cú doce de um pra esperança de cem
caviar e alfafa
pão e nada
10 milhão por mês prá ninguém
4x1 prá um e Ar15 na cabeça de alguém,
de alguém e alguém e alguém e alguém...
paz prá um, prá guerra de cem
cem prá um e eu nem
desdem, emoção
bolso e coração
juizado desajuizado
juiz ladrão é o caralho!
juiz é preconceituoso
e teu gozo vem disso
porque?
teu brasão no peito é estampado
a dor no peito é brasa, não apaga
e tu tapado, e quem tá do teu lado tá seco
e quem quer teu sorriso não te quer
camisa 10 prá um
exploração sexual infantil prá cem
sexta estrela no peito de um prá vitória de ninguém
foda-se a copa
acorda porra!!!

10 junho 2006

nAo como ovo pois sou contra o aborto...
eu uso um colar de bolinhas de homeopatia
e quando chove eu to curado,
a chiNa tem mais de um bilhAo de habitantes
e nem me chamaram!
..mOtesambaceso..

07 junho 2006

...retrocede.a.retórica.e.contesta.relembrando.bons.tempos.de.começo.de.rima.e.parceria...

.oOngs e facções, partidos e despedaçados corações
cambaleando pro lado vazio de nossa dimensão
de cristo a saddan, de nero a moisés,
dos nossos colonizadores a repressão,
ditadura militar de irmão exilados
de adolf hitler a alca, de guevara a zumbi, zapata
osama bin laden, nelos mandela, a alcaeda
a nasa de tantas apolos e os sub-nutridos da áfrica
o filho da puta do bu$h e aquela cara de bosta
politicos e ovnis, do Preto Velho ao papa
da rocinha ao vaticano, do muleque de rua, do morro,
ao soldado da casa da dinda gritando socorro sem saber se atira pro alto ou se joga no chão
contrabando de sentimentos puros, manipulação da verdade,
seitas auto-flagelativas completam um cotidiano sombrio
de marasmo total e poder cavernoso
que deixa o resto da atmosfera pra trás e segue
destruindo estrelas
e abalando a ordem natural de outros sistemas solares
por isso jamais faremos contatOo.
.ATENÇÃO.
os termos chulos usados neste espaço
são mera capacidade de percepção...
não são nada comparados a realidade

31 maio 2006

atraso.proposital.em.prol.do.nao.dia.das.maes

...a pétala solitária não é tão bela
quanto o conjunto da obra, a flor,
mas traz em sua beleza singular, abrigo
pro pacato bicharoco, que vive no tronco que é oco
da cavocada diária que faz pra se alimentar,
a noita cai, o céu que era royal agora é marinho
apesar de estar distante do mar,
o brilho das águas tremulando é o do sintilar das estrelas
e o pedido feito pra elas, sem ter a certeza de ser atendido
pois continuam brilhando mesmo não estando mais lá,
milhões de anos luz não são páreo
pra deter a força da luz de um astro em óbito lançada antes de se apagar
que segue, amparando os desejos
que o futuro irão colonizar...

24 maio 2006

teu dia-a-dia adia o dia em que a revolução vai chegar

.formula da variância do poder da ganancia não falha,
estende a vala que cala a tua familia
e abala, do sísmico ao neural, do monstro ao normal,
o eixo em que a sociedade escorre,
a pista em que a tua carcaça corre pra longe do mar,
do por do sol,
prá longe do mal, do real,
em prol do teu cerebro coalho,
xerocado falho, eterno intervalo,erro de impressão...
...de falsa documentação não identificada,
registro de arquivo morto, esforço de serviço porco prá garantia da tua miopia mental,
coisa e tal é o jargão mais usado na roda de genios,
de idéia encravada, evolução alada, engaiolada,
jaula preconceituosa, podre, tetânica...maquinário infestado de avaria
que adia o teu dia-a-dia e varia do mal pro pior
protegido por vão que arrasta a alma vazia e carrega no pescoço o peso assombroso do esboço de guia.

22 maio 2006

nada

19 maio 2006

autoexplicativoinformante

.anonimadoconteúdico é (de)forma,
in-verso e prosa ensebada de urbanóide crítico,
de raiz natural e paixão exacerbada pelo bem,
paz, amigo, familia, abraço...a cada passo, de tanto passo,
a cabeça repassa
meu marca-passo é movido a cor, a som, a grito
é pedrochico, o infinito e região, e eu invento
e se não tem vento eu sópro
é primo do macaco, é sobrevivente, é do caos
é b.r.a.s.i.l. é o amarelo das tuas folhas, tuas penas,
é original, sinérgico, intenso, é motesambaceso,
é monstro, outros 500, é verde e amarelo sujo, é underground,
é prática incansável de poesia ativa, é borocosound,
o extro-verso não retido, extrovertido, atemporal
é paz, é amor, é respeito, é união, camaradage, coisa e tal
é igualdade....e que se foda a copa...e que se foda o carnaval global

A vez do dread – (sub)Versão ato.2

Nosso presidente é réu culpado
A sentença, a cenoura da feira de ontem
Inteira no seu rabo, e o nabo, a mandioca
Choca, na vez do dread enfoca
As tubular da pororoca não é lenda
É bonde de caranguejo, é terror pras galinha e pro granjeiro
E quem não sente, aquele teu descendente
Sanguessuga da renda
Tipo bicho de areia fica
Cabeça de formiga nas fresta do solo seco
Comendo resto de minhoca de outros tempos férteis
Quando os ventos não faziam a curva
Distantes da água turva
Poluente eficaz tipo Ebóla
Luxa o braço da viola, esfola o batuque, do chocalho explode os grãos
Il Niño é réu primário diante tanta destruição
E ao que faço menção vem prá se opor
Sem dó ou dor
Exalando um fedor sólido
Afrodisíaco tecnológico, tempestade bivolt
Cirfunferenciada saga,
Tu toca o interruptor na tua toca mas a luz não se apaga
Pois no escuro a mente vai longe o escudo se arma
Redirecionada a história da tua espécie, especiaria ideológica
Futuristas férteis, rumo aos céus, SDKaos
Inocentados injustiçados réus
Jesus Cristo, Galileu Galilei, Tiradentes, Nelson Mandela
Devolve as asas pra essa banca
E manda os compadres do Papa prá cela
Devolve os verdes prá Amazônia
E faz brotar a paz na Faixa de Gaza e outras Terras...